Gamereactor Internacional Português / Dansk / Svenska / Norsk / Suomi / English / Deutsch / Italiano / Español / Français / Nederlands
Gamereactor
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
Gamereactor Portugal
análises
FIFA 18

FIFA 18

O Melhor FIFA de Sempre.


"O quê? FIFA 18 é o melhor FIFA de sempre? E levou um 10?" Sim, é verdade. Na nossa opinião, este é o melhor FIFA que a EA Sports já produziu. É um soberbo simulador de futebol, com uma jogabilidade refinada, onde a criatividade do jogador é recompensada com golos que parecem saídos de um jogo de futebol real, e não de um "jogo de PlayStation". É também um jogo com um grafismo espetacular, de longe o maior salto desde que FIFA passou para esta geração, e está a rebentar pelas costuras com conteúdo. FIFA Ultimate Team Mode nunca esteve tão bem, sendo agora apetecível tanto online, como a solo. Quanto ao modo Carreira, foi reforçado com várias novidades, mas a grande estrela é A Caminhada. O modo estória de Alex Hunter impressionou-nos, com alguns momentos geniais. Tudo isto embrulhado em valores de produção elevadíssimos. Portanto, sim, FIFA 18 é o Melhor FIFA de Sempre.

Jogabilidade
Tudo o resto é supérfluo num jogo de futebol, se a jogabilidade não cumprir, mas não é o caso. FIFA 18 é uma continuação de FIFA 17. Na nossa opinião, FIFA 15 e FIFA 16 passaram por um mau bocado, e sofreram com várias mudanças nucleares implementadas pela EA Sports. Não eram maus jogos, de todo, mas existiam problemas. Com FIFA 17 a EA voltou a encontrar o seu ritmo, e a jogabilidade voltou a mostrar-se mais estável e divertida. FIFA 18 é uma continuação disso mesmo. É uma versão mais completa, equilibrada, e polida do que vimos no ano anterior, enriquecida com várias animações novas.

Tudo funciona um pouco melhor. As diferenças entre jogadores fortes e leves é mais evidente, tal como o é em termos de aceleração, drible, e qualidade de passe. Existe uma diferença mais visível em termos das características dos jogadores, o que torna a experiência mais realista. Isso é também evidente contra a inteligência artificial, onde um jogo contra o Manchester United não é o mesmo que enfrentar o Hull City (com todo o respeito para o Hull).

FIFA 18 inclui um novo sistema de dribles, mais sensível às nuances do controlo do jogador. Futebolistas com grande capacidade de drible, como Messi e Neymar, conseguem driblar e mudar de direção com grande facilidade, e um simples toque no analógico para mudar a direção pode ser suficiente para deixar um defesa pelo caminho. Outra novidade ao nível da jogabilidade são os cruzamentos, refeitos para oferecerem maior controlo. É agora mais fácil controlar para onde a bola será cruzada - primeiro poste, centro, segundo poste, ou entrada da área. É um sistema que requer alguma habituação, mas que é uma melhoria.

Existem muitos outros pormenores novos ao nível da jogabilidade, como o facto de já permitir pontapés de saída com um só jogador, as substituições rápidas que podem fazer sem ir aos menus, e o novo sistema de "colagem" de animações que permitem movimentos mais fluidos e reações mais realistas. Mais importante, contudo, é que FIFA 18 está mais estável. Não nos apercebemos de problemas técnicos, ou de erros estranhos (o que não quer dizer que não possam encontrar alguns), mas isso não significa que tudo esteja bem.

Os passes sofreram alterações de que não somos particularmente fãs. Os passes são agora feitos para um colega em quase todas as ocasiões, mesmo que não estejam necessariamente a apontar na sua direção, enquanto que no passado havia mais um pouco de liberdade nesse sentido. Claro que ainda existem controlos manuais, mas preferíamos o meio termo dos jogos anteriores.

Grafismo, ambiente, e valores de produção
Com FIFA 17, a EA Sports mudou o jogo para o motor Frostbite, permitindo acrescentar sequências cinemáticas e maior detalhe gráfico. Existiam algumas diferenças, mas não eram muito evidentes. Este ano são. FIFA 18 tem um grafismo espetacular, sobretudo ao nível de iluminação e animações. Com suporte para HDR, FIFA 18 consegue ter um aspeto espetacular numa televisão que suporte essa tecnologia, que beneficia imenso o novo posicionamento do sol em alguns estádios. Jogar no King Power Stadium do Leicester City, ao fim da tarde, é um verdadeiro mimo, sobretudo com HDR.

FIFA 18 inclui também muitas sequências cinemáticas novas, para antes, durante, e depois das partidas. Muitos festejos resultam agora em sequências cinemáticas, como as celebrações icónicas de Cristiano Ronaldo, ou festejos junto do público com abraços entre adeptos e jogadores. Estas sequências estendem-se para Ultimate Team Mode e Carreira, além claro, de A Caminhada, mas já lá vamos a esses casos específicos.

Outra novidade envolve o ambiente nos estádios, que não só é fantástico, como é localizado. O público está mais detalhado e tem agora mais comportamentos. Se um jogador marcar um golo, os adeptos mais próximos do jogador podem correr em direção ao limite da bancada, e se jogarem na Argentina, por exemplo, vão ver vários tipos de faixas e efeitos que não vão ver em Inglaterra.

A isto junta-se o excelente nível de produção de FIFA 18. Estamos a falar de um jogo que além de contar com excelente grafismo, inclui também a maior recriação de sempre de elementos de futebol. Vários estádios, jogadores, e treinadores, foram recriados individualmente, o que acrescenta ainda mais autenticidade ao jogo. Depois existe a excelente banda sonora do costume, uma interface prática e apelativa, e demasiados outros pormenores que não conseguimos enumerar aqui. Mas nada mostra o valor de produção de FIFA 18 como o modo A Caminhada.

Continua na página seguinte

FIFA 18FIFA 18
FIFA 18FIFA 18FIFA 18
FIFA 18FIFA 18
FIFA 18FIFA 18FIFA 18