Gamereactor Internacional Português / Dansk / Svenska / Norsk / Suomi / English / Deutsch / Italiano / Español / Français / Nederlands
Gamereactor
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
Gamereactor Portugal
análises
Dishonored: Death of the Outsider

Dishonored: Death of the Outsider

A saga de Kaldwin chega a uma conclusão satisfatória.

Ao longo dos últimos anos sentimos uma ligação forte ao mundo que a Arkane Studios criou para Dishonored, e agora é com um sentimento agridoce que chegamos a este capítulo final. A série Dishonored em si não terminou, mas a saga de Kaldwin, com assassinatos de imperatrizes, traições, raptos de crianças, e seres sobrenaturais conhece finalmente o seu termino. Death of the Outsider marca o final da estória de Corvo, Emily, Jessamine, Daud, Billie, e até do Outsider, numa aventura com uma protagonista original.

Billie Lurk, assassina talentosa que ganhou as suas habilidades nas ruas pobres de Gristol, tem sido uma personagem importante desde o primeiro jogo. No Dishonored original aparecia como um elemento secundário, junto do seu mentor e com a morte da imperatriz na sua consciência. Eventualmente revelou ser uma amiga importante, ajudando em Dishonored 2 a família que no passado traiu. Agora, com Death of the Outsider, Billie é finalmente catapultada para o papel principal, e embora esteja cansada e amargurada, ainda é uma lufada de ar fresco nas ruas de Karnaca.

Death of the Outsider é, tecnicamente, uma expansão de Dishonored 2, mas na prática funciona como um jogo isolado. Pode ser comprado avulso por € 29.99, e não precisam de Dishonored 2 para jogarem.

Dishonored: Death of the Outsider

Quando a aventura começa, Billie acorda num local familiar para quem jogou Dishonored 2, a bordo do navio The Dreadful Whale. Nunca foi uma embarcação impressionante, mas é fácil perceber que o navio já teve melhores dias. Vários quartos estão selados, paredes foram derrubadas, e o barco está ancorado ao porto. É o espelho desta terra outrora cheia de vida, que agora sofre nas mãos de um culto dedicado ao Outsider. A missão de Billie é então simples: ajudar o seu mentor Daud a destruir o estranho ser sobrenatural que assola o mundo de Dishonored.

Desta vez os poderes da personagem não são atribuídos pelo Outsider, já que Billie não carrega a sua marca (nos jogos anteriores também podiam recusar a marca e jogar sem poderes). Ainda assim, as habilidades a que tem acesso funcionam de forma ligeiramente diferente, já que a mana agora regenera automaticamente, e não apenas com o uso de frascos. Algo que se mantém idêntico é a importância dos Bone Charms, itens que garantem vantagens especiais se os encontrarem pelo mapa.

Displace é o equivalente ao Blink de Corvo ou o Far Reach de Emily, um poder que permite a Billie deslocar-se com grande eficácia. Existem, contudo, algumas diferenças. Displace não pode ser usado instantaneamente, mas para compensar, permite criar uma cópia de Billie. Ao pressionarem novamente no botão, Billie pode regressar ao ponto em que ficou essa cópia. É uma excelente forma de fugirem de uma situação aflitiva, ou de surpreender um inimigo que passe perto da cópia. Esta habilidade tem ainda outra função. Se usarem a cópia dentro de um inimigo, este explode, mas o processo também irá danificar Billie.

Foresight é outra versão alternativa de um poder que já devem conhecer, Dark Vision. Ao usar esta habilidade, Billie pode assumir uma perspetiva aérea, pausar o tempo, e passear pelo mapa. Também permite ver a localização de itens e inimigos, mesmo através das paredes, e até podem marcá-los para continuarem a vê-los mesmo depois de usarem o poder. Neste modo podem ainda usar Displace, permitindo colocar a cópia de Billie num local a que normalmente não teriam acesso.

Semblance é o terceiro e último poder de Billie, e permite-lhe "roubar" a cara de outra personagem (Arya Stark, és tu?). Desta forma pode passar despercebida junto a guardas, e o poder pode ser usado em qualquer personagem, mesmo que estejam inconscientes. Contudo, se um guarda reparar que falta a cara a uma personagem específica, irá alertar os restantes, arruinando o disfarce.

Além destes poderes, Billie tem também acesso a um arsenal variado, onde estão incluídas bombas, flechas, granadas, e acessórios. Existem muitas opções para eliminarem ou atordoarem os inimigos.

Dishonored: Death of the OutsiderDishonored: Death of the Outsider

A estrutura das missões é algo diferente do que podem lembrar de Dishonored 2. O jogo está dividido em cinco capítulos, que irão levar-vos através de casas, bancos, e mansões, quase tudo reciclado do jogo anterior. A diferença é que desta vez não existem alvos específicos para matar ou encontrar, ou vítimas para resgatar. Tudo o que importa é que o Outsider morra. Existem, contudo, algumas missões secundárias que podem aceitar, caso precisem de ganhar dinheiro para equipamento.

A Arkane Studios é excelente ao nível de design e de construção de mundos e personagens, e isso é novamente evidente neste jogo. Continua a existir uma grande sensação de liberdade, de que é possível fazer tudo o que quisermos. A caminho do objetivo decidem investigar uma casa? Ok, então e querem encontrar alguma janela aberta, ou tentar roubar as chaves do dono? E se a casa tiver personagens hóstis, vão matá-las ou tentar passar por elas sem que sejam vistos? Mais uma vez, é tremenda a liberdade que a Arkane oferece ao jogador, com muitos caminhos e curiosidades no mapa, e com várias abordagens possíveis.

De certa forma até têm mais liberdade neste jogo do que nos antecessores, porque aqui não existem consequências se decidirem matar alguém. Em vez disso, existe uma escolha que terão de tomar perto do final, mas as vossas ações antes disso não têm qualquer impacto no que se segue. Alguns jogadores vão apreciar essa liberdade acrescida, enquanto que outros podem sentir falta de um estilo que encorajava a procurar formas alternativas de lidar com os problemas. Nós estamos no segundo campo.

Em muitos aspetos, Death of the Outsider é uma experiência reduzida de Dishonored, que não está ao nível de um jogo completamente novo, mas tem os seus méritos. O design dos níveis e também artístico são soberbos, enquanto que a estória continua a ser enriquecida com excelentes atuações dos atores. Além disso existe o apelativo de serem finalmente conhecidas respostas sobre o misterioso Outsider.

Dishonored: Death of the Outsider
Dishonored: Death of the OutsiderDishonored: Death of the Outsider
08 Gamereactor Portugal
8 / 10
+
Design fantástico. Os mistérios do Outsider foram finalmente desvendados. Final satisfatório. Novos poderes interessantes. Desempenho impecável dos atores.
-
Inteligência artificial tem problemas. Não inclui sistema de evolução da personagem. Recicla mapas.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor