Gamereactor / Dansk / Svenska / Norsk / Suomi / English / Deutsch / Italiano / Español / Français / Nederlands / 中國
Gamereactor
Iniciar sessão






Esqueceu-se da password?
Não estou registado mas quero registar-me

Prefiro iniciar sessão com a conta de Facebook
Gamereactor Portugal
análises
Battlerite

Battlerite

Um MOBA free-to-play que não sabíamos que queríamos até o jogarmos.

  • Texto: Jordan Aldridge-Payne

Não é segredo o impacto que o mercado MOBA está a ter nas categorias free-to-play e eSports, sobretudo com os gigantes League of Legends e Dota 2. As partidas nesses jogos tendem a durar bastante tempo, por vezes uma hora, e parte do seu sucesso resulta da intensidade dessas batalhas e as viragens que vão ocorrendo. É aqui que entra em cena este Battlerite, um jogo que pegou no contexto dos MOBA, diminuiu o tamanho das equipas, e criou algo único.

Existem confrontos de dois contra dois e três contra três, e para ganhar uma partida, uma equipa tem de ganhar três rondas. Para ganhar uma ronda, uma equipa tem de derrotar todos os adversários. Espalhadas pelo mapa estão esferas de saúde e de energia, estas últimas essenciais para carregarem as habilidades mais poderosos. De forma períodica surge uma enorme esfera no centro do mapa, que motiva uma batalha pela sua posse - a equipa que desferir o último golpe na esfera fica com ela. Quando um jogador é derrotado, é derrotado de vez, e só regressa na ronda seguinte. É necessário encontrar um equilíbrio entre a capacidade de ataque, mas também de proteção da equipa.

O jogo oferece um modo mais casual, e outro mais competitivo, com tabelas online. Aqui as recompensas são maiores, mas a concorrência também tende a ser mais feroz.

Ao contrário do que acontece na maioria dos outros MOBA, as rondas de Battlerite tendem a ser bem mais curtas, mas também mais intensas. A área de jogo vai diminuindo com o tempo, e em poucos minutos os jogadores estarão concentrados numa pequena zona. Isto provoca alguns combates de grande ferocidade, em que equipas com pouca energia, por vezes de dois contra um, ou dois contra três, dão tudo por tudo. É uma estrutura que exige pouco tempo do jogador, mas pelo contrário, é exigente ao nível da sua habilidade. Para triunfarem têm de dominar todos os aspetos do jogo, não há outra hipótese.

As personagens dividem-se entre as categorias de curto alcance, longo alcance, e suporte. Não é uma composição revolucionária, pelo contrário, é uma fórmula testada e abusada, e por isso mesmo funciona. Algumas personagens estão disponíveis de início, enquanto que outras têm de ser comprada com dinheiro real ou com dinheiro de jogo. Por € 27.99 desbloqueiam todas as personagens (presentes e futuras), o que pode ser visto como o preço do jogo. Parece-nos justo. Também existe fatos, armas, montadas e baús, que também pode ser comprados com dinheiro de jogo ou real. Existem várias missões que podem realizar, além dos combates, que ajudam a acumular a moeda de jogo, e nunca sentimos que o progresso fosse injusto.

Battlerite tem um aspeto bastante engraçado, com um estilo visual cartoonesco, mas não ao ponto de não se levar a sério. Existem Campeões (personagens) de todas as formas e feitios, e todos têm traços individuais que os ajudam a distinguir com facilidade. Quem quiser aprofundar o seu conhecimento sobre o jogo e as personagens, também podem explorar o seu passado e motivações.

Como já referimos, é uma estrutura inspirada nos MOBA, mas a jogabilidade assemelha-se mais a um "twin-stick shooter". Jogando com rato e teclado, o movimento está entregue às teclas WASD, enquanto que as teclas mais próximas permitem usar habilidades, e o rato permite atacar. Podem personalizar esta configuração e as próprias habilidades das personagens. Aliás, existem muitas opções para transformarem Battlerite na vossa experiência personalizada.

Se estão habituados a outros MOBA, será relativamente fácil entrar em Battlerite. Mesmo que sejam novatos ao género, existem personagens que serão mais fáceis de dominar que outras, e que estão assinaladas como "amigáveis para principiantes". Depois de aprenderem o básico, podem então tentar aprofundar a experiência de jogo. Battlerite emprega a velha máxima de "fácil de começar, difícil de dominar", o que resulta bastante bem neste tipo de experiência.

É Battlerite melhor que Dota 2 ou League of Legends? Não, porque estamos a falar de um jogo que está na sua infância, enquanto que estes dois exemplos cresceram muito ao longo dos anos. É, contudo, uma proposta diferente, que não copia exatamente o que os outros fizeram. Infelizmente, sofre de alguns dos problemas dos MOBA, a começar pela comunidade. Embora ainda esteja numa fase de crescimento, já vimos comportamentos bastante impróprios por parte de jogadores. Não é nada que arruíne a experiência de jogo, mas é lamentável, mesmo que o jogo em si não seja o culpado.

Battlerite faz um excelente trabalho de pegar numas características dos MOBA, e moldá-las para a sua própria experiência de jogo. Gostámos sobretudo das partidas mais curtas, tornando-se numa alternativa bastante viável para quem gosta do género, mas não tempo várias horas para investir em League of Legends ou Dota 2. Mesmo em formato free-to-play, sem pagar, permite ter um progresso razoável, e o preço para desbloquear todas as personagens parece-nos adequado. Um exemplo perfeito de como criar uma experiência free-to-play competitiva e justa.

BattleriteBattlerite
BattleriteBattleriteBattlerite
09 Gamereactor Portugal
9 / 10
+
Jogos curtos, mas intensos. Exige pouco tempo. Evoluir as personagens é recompensador.
-
Comunidade algo tóxica. Requer jogadores habilidosos.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor